Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Noticias 2017 Julho Mapeamento será uma das áreas de atuação do Programa Vida Nova nas Grotas
07/07/2017 - 20h14m

Mapeamento será uma das áreas de atuação do Programa Vida Nova nas Grotas

Em parceria com a ONU, Secretaria do Planejamento irá mapear informações socioeconômicas e geoespaciais dos aglomerados subnormais de Maceió

 Mapeamento será uma das áreas de atuação do Programa Vida Nova nas Grotas

Governo de Alagoas e ONU Habitat irão atualizar todas as bases de dados do Estado que possuem relação ao desenvolvimento das grotas de Maceió (Foto: Ascom Setrand)

Texto de Igor Gouveia

Catalogar todas as informações socioeconômicas e geoespaciais das grotas da capital alagoana é uma das frentes de trabalho que o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), realizará em parceria com a ONU Habitat. A ideia da ação é contribuir com o desenvolvimento do programa Vida Nova nas Grotas, que tem o intuito de levar melhorias socioeconômicas aos moradores que residem em 76 grotas de Maceió. 

“Estamos elaborando um plano de trabalho que irá subsidiar diversas ações que serão desenvolvidas pelo Estado em parceria com a ONU. O trabalho de georreferenciamento e disponibilização de informações socioeconômicas é fundamental para que haja um direcionamento na implementação do projeto. A Seplag, enquanto secretaria responsável pelo Planejamento, é essencial neste processo”, explica o secretário titular da pasta, Fabrício Marques Santos. 

E apesar da parceria com a ONU ter sido firmada recentemente, a Seplag já vinha trabalhando na disponibilização e catalogação de dados das grotas localizadas na capital. Inicialmente, o trabalho se concentrou em reunir dados sobre a demografia e territórios dessas áreas, relacionando informações demográficas sobre a população residente e as curvas de nível das regiões em que estão os aglomerados subnormais, e na área de desenvolvimento urbano, com o cadastro da relação geolocalizada de obras urbanas já realizadas e as que estão em andamento. 

“É muito bom saber que já iniciaremos um trabalho com uma base de dados consistente. As informações socioeconômicas e os dados geoespaciais, principalmente das áreas em que estão concentradas as grotas, é muito relevante para toda a estruturação do projeto. Só conseguiremos promover melhorias nas condições de vida dos moradores das grotas se tivermos informações consistentes sobre diversos aspectos”, observa o oficial sênior da ONU, Alain Grimard.

Além das informações já cadastradas, a Secretaria do Planejamento também irá fomentar a catalogação de dados relacionados às áreas de Educação, Saúde, Segurança Pública, Desenvolvimento Social, Infraestrutura, Esportes, Cultura e Trabalho e Emprego.  Os dados servirão para que os técnicos envolvidos no projeto trabalhem os índices de prosperidade da ONU-Habitat, focado atualmente em taxas correlacionadas à inclusão social, meio ambiente, qualidade de vida, infraestrutura, legislação e governança.

“Vamos atualizar todas as bases de dados do Estado que possuem relação ao desenvolvimento das grotas. É necessário que tenhamos informações consistentes como o número de escolas públicas próximas às zonas de atuação do projeto, equipamentos esportivos e de lazer, além de referências sociais destas regiões”, ressalta Fabrício Marques Santos. 

Ainda de acordo com o planejamento inicial da Seplag, todo o processo de catalogação acontecerá de forma individualizada em cada grota que será atendida pelo programa. Isso quer dizer que, até o fim de 2018, toda a base de dados sobre os aglomerados estará atualizada. 

“O fortalecimento das informações técnicas das áreas públicas em temas urbanos será de grande relevância para a implementação e monitoramento de projetos e iniciativas de geolocalização. Ter algumas informações relevantes já consolidadas só mostram o quão avançada está a perspectiva do governo de Alagoas. De fato, temos aqui uma oportunidade-chave, e o ONU-Habitat está à disposição para que toda essa catalogação de informações seja um processo contínuo e que realmente beneficie não apenas a gestão pública, mas toda a população”, completa a oficial nacional do ONU-Habitat Brasil, Rayne Ferretti.

Trabalho 

 O escritório do programa será instalado nas dependências da Seplag e a previsão da ONU Habitat é de que ele comece a funcionar na segunda quinzena de agosto.

Ações do documento