Notícia

PLANEJAMENTO, GESTÃO E PATRIMÔNIO

Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio
Quarta, 07 Novembro 2018 19:14
INOVAÇÃO

Já! cria assistente virtual para facilitar prestação de serviços à população

Número de interações com a atendente virtual Jaque ultrapassa os 500 mil

Número de interações com a atendente virtual Jaque ultrapassa os 500 mil Número de interações com a atendente virtual Jaque ultrapassa os 500 mil (Foto: Minne Santos)
Texto de Minne Santos

Quem precisa de alguma informação sobre os serviços disponibilizados pelas Centrais Já! de Atendimento ao Cidadão agora conta com o auxílio da nova integrante do quadro funcional do órgão: a Jaque, assistente virtual do Já!. A atendente, que pode ser encontrada no site do Guia de Serviços e no da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), deve facilitar ainda mais a prestação de serviços pelo Estado.

Desenvolvida em uma parceria entre a Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) e a Ilhasoft, empresa alagoana especializada na criação de aplicativos e outras soluções virtuais, a assistente veio para complementar o atendimento das Centrais e o melhor: está funcionando sem custos para o Governo, possibilitada por meio de uma Prova de Conceito (POC).

“Nesse período de testes já deu para perceber o potencial da Jaque como um canal de comunicação eficiente e que otimiza a experiência do usuário que busca informações sobre os serviços do Governo. O intuito das Centrais é justamente tornar mais prática a prestação de serviços no Estado, então utilizar as inovações tecnológicas a nosso favor é imprescindível para fazermos um trabalho cada vez mais assertivo nesse sentido”, explica o superintendente de Atendimento ao Cidadão da Seplag, Alexandre Norberto.

De acordo com ele, desde junho deste ano, quando a assistente foi implementada, o número de contatos que conversaram com a Jaque ultrapassa os 500 mil. Nos atendimentos, as informações mais requisitadas pelos usuários estão ligadas à emissão de documentos e a serviços prestados por órgãos como o Detran e a Casal. Segundo Alexandre, além de informar, a Jaque já realiza atendimentos diretos no próprio bate-papo com os cidadãos.

“Hoje, a Jaque já emite, durante a conversa com usuário, o documento de arrecadação do IPVA, por exemplo. É uma forma rápida e prática de modernizar o contato e o atendimento ao cidadão, que está cada vez mais conectado. A ideia é que consigamos agregar mais atendimentos para que a população tenha a possibilidade de resolver suas demandas sem precisar sair de casa”, afirma o superintendente.

A JAQUE

A primeira coisa que devemos saber a respeito da Jaque é que ela é um chatbot, um programa de computador que faz uso da inteligência artificial para realizar atividades programadas. Neste caso, ela entende as intenções dos usuários e propõe soluções a problemas e dúvidas frequentes.

CEO da Ilhasoft, empresa responsável pelo desenvolvimento da Jaque, Leandro Neves explica que, devido à liberação da interface de programação, a API, do Guia de Serviços, a Jaque tem acesso direto a informações sobre os mais de 1600 serviços prestados pelo governo alagoano que estão disponíveis na plataforma.

“APIs são conectores de sistemas diferentes que permitem a troca de dados entre eles. Por meio deles, o cidadão consegue pedir informações à assistente virtual a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana. A Jaque, por sua vez, responde de forma automática, sem precisar do auxílio humano direto. Isso acelera o atendimento e otimiza o tempo dos usuários e dos funcionários de todos os órgãos contemplados”, reforça Neves.

Segundo o secretário do Planejamento e Gestão, Fabrício Marques Santos, a Jaque faz parte de várias ações do Governo que envolvem o fomento de iniciativas simples, mas criativas e que prezam por utilizar a tecnologia em favor da melhoria do serviço público.

“A Jaque vem para complementar o processo de modernização dos serviços prestados pelo Estado. A nossa nova assistente é mais uma forma de facilitar o atendimento ao público e de tornar o que antes era visto como burocrático e engessado em algo interativo e prático. O serviço público não pode ficar estagnado, precisamos nos reinventar cada vez mais para conseguirmos dialogar melhor e, de fato, atender às demandas da população”, afirma o titular da Seplag.